Sindicato Unido e Forte


    Saúde mental: a depressão está em entre os principais fatores que levam à população brasileira ao suicídio
    Autor: por Redação SindSaúde-SP
    11/10/2019



    Dia 10 de outubro foi celebrado o Dia Internacional da Saúde Mental e, infelizmente, o Brasil é o país da América Latina com maior taxa de casos de depressão. Segundo Organização Mundial da Saúde (OMS), 12 milhões de pessoas sofrem com a doença, isso representa 5,8% da população brasileira.
     
    A depressão é a doença psiquiátrica com maior prevalência no Brasil. A OMS estima que entre 20% e 25% da população teve, tem ou terá depressão.
     
    Além disso, a depressão é a doença que está mais associada ao suicídio, principalmente quando não é tratada. A cada 40 segundos, uma pessoa vai a óbito por morte autoprovacada no mundo todo. Isso equivale a 800 mil mortes ao ano, segundo cálculo da OMS. Segundo a organização, o suicídio é 15ª maior causa de morte no mundo. É a maior causa de morte de pessoas entre homens de 15 a 24 anos.
     
    No Brasil, infelizmente, o número de casos está aumentando exponencialmente, deixando o país no 4° lugar da América Latina com maior crescimento de mortes por suicídio. Segundo levantamento da organização, enquanto a taxa de mortes autoprovacadas reduziu 9,8% a cada 100 mil habitantes, no Brasil houve um aumento de 7%, no período de 2010 a 2016.
     
    Os números alarmantes, demonstram que é necessário ampliar a prevenção. Por isso, o SindSaúde-SP entrevistou a médica sanitarista Telma Nery, especialista em saúde do trabalhador e integrante do Fórum Paulista de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos e Transgênicos para tratar sobre o assunto. Assista ao vídeo:  


     
    Prevenção
    O Ministério da Saúde orienta que entre as formas de prevenção estão: manter um estilo de vida saudável; ter uma dieta equilibrada; praticar atividade física regularmente; combater o estresse concedendo tempo na agenda para atividades prazerosas; evitar o consumo de álcool; não usar drogas ilícitas; diminuir as doses diárias de cafeína; rotina de sono regular; e não interromper tratamento sem orientação médica.
     
    Como ajudar
    Quem convive com pessoas que podem estar sofrendo com depressão e/ou ansiedade pode ajudar nessa batalha. Ouça mais e fale menos; encontre um momento apropriado e um lugar calmo para falar sobre a questão; incentive uma consulta profissional; fique perto; previna; mantenha contato; não condene; não banalize a dor; não opine; indique entidades que auxiliem no tratamento.
     
    Entre as instituições que dá suporte no tratamento e até mesmo no reconhecimento da depressão está o CVV – Centro de Valorização da Vida que realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntariamente e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, por telefone, e-mail, chat e voip 24 horas todos os dias.
     









Ao clicar em enviar estou ciente e assumo a responsabilidade em NÃO ofender, discriminar, difamar ou qualquer outro assunto do gênero nos meus comentários no site do SindSaúde-SP.
Cadastre-se









Sim Não