Sindicato Unido e Forte


    Trabalhadores da saúde entram no grupo de prioridade da campanha de vacinação contra gripe
    Autor: Redação SindSaúde-SP
    10/03/2020



    O Ministério da Saúde anunciou na última segunda-feira (9), que irá inverter o grupo de prioridades na Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza deste ano, começando no dia 23 de março por trabalhadores da saúde, que atuam na linha de frente do atendimento, e idosos, como forma de proteger essas pessoas que dependendo a gravidade da doença respiratória podem ir a óbito. 
     
    No começo do mês, o ministério anunciou a antecipação da campanha. Segundo o ministro, Luiz Henrique Mandetta, a medida também é uma forma de auxiliar os profissionais de saúde a descartarem influenza na triagem de casos suspeitos de coronavírus.

    Na segunda fase da campanha, que começa dia 16 de abril, serão vacinados os professores, profissionais das forças de segurança e salvamento, além da previsão de incluir já nessa fase os doentes crônicos.
     
    A partir de 9 de maio, Dia D de vacinação, serão vacinadas as crianças menores de seis meses e menores de seis anos, pessoas com mais de 55 anos, gestantes, mães no pós-parto, população indígena e portadores de condições especiais. A campanha seguirá até o dia 23 de maio.
     
    Casos de Influenza no Brasil
    Segundo o Ministério da Saúde, em 2020, até a Semana Epidemiológica 9 (29 de fevereiro), foram registrados 90 casos de influenza A (H1N1) e 6 óbitos no Brasil. O estado de São Paulo concentra o maior número de casos de H1N1, com 28 notificações. Em seguida estão o estado da Bahia, com 14 casos, e o estado do Paraná, com 12 casos e 5 óbitos. O sexto óbito foi registrado no estado do Maranhão, que registrou 1 caso. As informações são preliminares e sujeitas a alterações. No mesmo período, em 2019, foram registrados 146 casos de influenza A (H1N1) e 24 óbitos no país.









Ao clicar em enviar estou ciente e assumo a responsabilidade em NÃO ofender, discriminar, difamar ou qualquer outro assunto do gênero nos meus comentários no site do SindSaúde-SP.
Cadastre-se









Sim Não